O Núcleo Cinematográfico de Dança, através da 10a. Edição do Fomento à Dança, realiza o "1o. Intercâmbio de idéias e ações: deslocamentos e instantâneos. 

     Propomos quatro encontros intensivos reunindo pesquisadores e artistas da dança, bem como profissionais de áreas afins, para realizar exercícios de produção e fruição estética a partir de duas questões que vem estimulando os processos de criação da companhia: "O que você faz quando se sente fora do lugar? Quando o corpo parece não ter cabimento?"

    Para o Núcleo este intercâmbio dá continuidade a dois possíveis desdobramentos dessas questões, que dialogam sutilmente em nossos processos de criação:

   O primeiro de caráter poético/estético refere-se à nossa pesquisa central entre dança e cinema. Um corpo que se esforça em permanecer  simultaneamente conectado a essas duas linguagens. Como construir corporalidades e dramaturgias autorais provocadas por procedimentos, referências e estéticas cinematográficas?

​   O segundo trata-se da instabilidade das políticas culturais vigentes para pesquisa, produção, circulação e educação em dança, que tem se configurado como um terreno movediço. Como nos valer de estratégias para continuar a viver nesse contexto sempre tão inconstante?

   Nesse sentido a concepção desse 1o. Intercâmbio é estender essas questões para além da companhia e possibilitar uma ação de forma descentralizada. Mais do que responder a essas perguntas, queremos dividir nossas inquietações. Para nós será uma experimento curioso, tornando-nos também observadores dos eventos.

    O intercâmbio se desloca pela cidade. As intervenções artísticas e “palestras” se adaptam de acordo com o espaço de ocupação e a conformação das pessoas envolvidas, fora do lugar convencional.  Artistas propositores e performers buscam relações e ressonâncias com o entorno. Essa é também uma forma de  favorecer a apreciação e circulação desses “instantâneos“ de outras maneiras que não somente àquelas condicionadas ao contexto da dança.

  Esses encontros são potenciais na medida que zonas de fluxo criativo são geradas quando incorporamos e somos incorporados pela proposta do outro. Ainda que os resultados sejam “instantâneos criativos“, estes encontros permitem reorganizar e re-configurar  conhecimentos, influências, referências e procedimentos, deslocando idéias e práticas em rede.